Fundo do Mar (04/02 a 23/02): STAYC, NMIXX, N.O.M, VIVIZ, Suzy, Wonho e mais…

Olá ^^ Como eu disse no post de Love In Space, eu estou num período de semi-hiatus aqui no blog (por estar focando muito em produzir e estudar ilustração e tals), mas tô no projeto de tentar ficar um pouco mais “em dia” com os lançamentos pra conseguir ir comentando com menos coisa acumulada (no mínimo de um post por quinzena ou coisa do tipo) @.@’ Também tentarei lançar um post de BL por mês, pelo menos. Vamos ver como será kk

Mas agora, vamos relembrar o mais impactante (pro bem e pro mal) de fevereiro??

Child, Mark (NCT)

Eu não sou muito entusiasta do NCT (eu nem sei de qual subgrupo o Mark é, especificamente), mas decidi colocar este Station aqui pelo instrumental bem gostosinho que conseguiram colocar aqui. Tem uma abordagem legal pra trap e industrial, sem perder um caráter mais melancólico. O flow do rap ajuda bastante a deixar a faixa competente.

A SM erra tanto com o NCT que qualquer tipo de acerto já é uma vitória.

Good Night, Rolling Quartz

Eu tô muito entusiasta de rock neste ano (já revivi uns três álbuns roqueiros só da Avril Lavigne ter lançado o novo dela, que tá muito bom, inclusive). Rolling Quartz é uma banda SÓ DE MULHERES (aleluia, deusa!), algo que eu não via desde as flopadas do MARMELLO. O único lado ruim é que Good Night é um cover da música do Dreamcatcher ao invés de uma música original. MAS, acalme seu coração, porque eu descobri que este é o single do primeiro EP delas, o que é motivo de glória.

Winner, Ravi (VIXX) feat. Ash Island

Apesar de não conhecer muito do VIXX, sou sempre simpático a algo relacionado ao grupo. Os singles do Ravi costumam ser os mais fraquinhos de todos os solos, mas em Winner, ele pegou um pouco de pop rock pra melodia, o que fez MARAVILHAS e já satisfez o lado roqueiro.

BOP BOP!, VIVIZ (ex-GFriend)

A sissyfication do GFriend ganhou color coded na Eunha, SinB e Umji, que decidiram ir para um lado bem menos elegante do que os últimos singles do grupo completo sugeriram. Apesar de BOP BOP! ser super divertida, achei muito lugar comum pra pessoas com tanto tempo de carreira. Mago, Apple, Crossroads tinham um tipo de subtexto tão forte e bem estruturado que ver isto trocado por um nudisco com refrão onomatopeico é decepcionante, mesmo a faixa sendo bem competente ao que se propõe.

Gray So Gray, Epik High (feat. Younha)

Younha está de volta com um feat de milhões. Epik High é um dos nomes precursores do k-hip hop moderno e dá pra ver pela forma como eles apresentam as faixas deles com um pouco menos de prepotência que os novinhos do rap. Não digo que é super memorável, mas é um must para os fãs de k-hip hop por aí, seja ele do tipo barulhento ou do tipo melancólico.

Heart Rider, Rocking Doll

Umas nugus pegaram a estética de Stereotype do STAYC e lançaram um 8-bits simpático. A qualidade do clipe é incrível pra um grupo de décimo escalão, mas o break de trap na segunda rodada de versos quebrou muito o climinha de verão que o resto da faixa se propõe.

JIKJIN, TREASURE

A esta altura do campeonato, já sabemos que, não importa o quanto o começo de uma faixa do Treasure pareça boa, eles sempre vão dar um jeito de estragar no refrão. Para desespero da SM e da JYP, o estrago foi um pouco melhor colado no instrumental, quase soando como uma faixa do TVXQ. O breakdown no final é bem melhor que o usual e lembra a época em que os finais das músicas da YG da 2ª geração pareciam fanfarra com todo mundo dançando e jogando os bracinhos pra cima.

Um acerto pra eles… Quem diria?

Bonnie & Clyde, DeVita

Gays amam uma mulher com pouco orçamento e conceito, então eu não poderia ignorar DeVita. Em um trap com inspirações bem clara em baladas de soul, a mulher entrega aquele tipo de faixa ótima que sempre fica perto do final de álbuns de boas vocalistas americanas. Ela canta bem, entrega bem e consegue utilizar de forma bem competente seu pouco orçamento.

Claro que eu amo esta sonoridade mais antiga que o retrô da modinha, então posso estar rasgando sardinha. Mas vai lá escutar! É bom ver alguém que tá cantando algo diferente pra variar.

Eye On You, Wonho

Voltamos ao inverno coreano, então o Wonho pode voltar a ser uma grande gostosa. Achei o conceito do clipe interessante, ele tá gostoso pra caramba (mesmo estando bem mais vestido que o comum), mas tem tanta coisa acontecendo que me deixou confuso. São tantos filtros, transições e efeitos que parece poluído demais.

A música em si tá na mesma linha de Open Mind e Lose, o que é ótimo, mas eu não acabei lembrando dela tanto assim não (geralmente eu acabo gravitando pra outra faixa do lançamento, como foi pra Lost In Paradise e Ain’t About You… Vamos ver se vai acontecer isto de novo desta vez).

Satellite, Suzy

A Suzy me dá preguiça. Sempre me deu, desde os tempos de Suzy A. Ela querendo dar uma de HA:TFELT até me deixou empolgado por um tempo, mas não aparecer no clipe (sim, não é ela que tá dançando) cortou total meu clima com a faixa.

RUN2U, STAYC

Eu vi a blogosfera criticando esta aqui horrores. Gente, como assim? A consistência do Black Eyed Pilseung com as produções delas, sem cair pro girlcrush de fogo e roupas pretas, e incrível. TODA faixa do STAYC tem um drop esquisito (mas coeso) no refrão. E pra mim é justamente esta característica que deixa as músicas delas tão carismáticas e memoráveis.

O instrumental depois do primeiro “I run to you” é tão gostosinho de ouvir. Parece trilha sonora de joguinho plataforma processado pra você desfilar. A rapper de voz grossa domina com uma ótima interpretação. Os takes com elas correndo + vento também ficou TUDO. Amei demais.

Devils in the City, Suran (feat. Dok2)

Eu não sei em que buraco a Suran se enfiou pra nem ter clipe mais pros seus singles, mas Devils in the City merecia mais. É um dos melhores singles da gata em ANOS, com uma carga dramática e reflexiva muito relacionável e bem produzida. É como a versão sombria de um city pop. Tá aí um negócio que a gente não vê todo dia.

O.O, NMIXX

Quando este troço começou eu estava em frangalhos. Como assim A JYP me começa um clipe emulando TUDO de Kwangya?! O cenário, o take, as roupas, a agressividade falsa. O que aconteceu com a trendsetter que eles eram?

Esta sensação continuou até o segundo verso, em que elas entregam talvez a melhor melodia de debut feminino EM ANOS, com muitos gritos (no bom sentido), carisma e visuais que COMBINAM com elas (algo que todo o rolê do aespa perde).

Mas depois volta pra kwangyaficação, sem pegar qualquer elemento da parte boa… Só não digo que foi a pior coisa que já vi, porque Next Level conseguiu me deixar preparado pra essas produções “experimentais” super porcas que estragam ideias ÓTIMAS. MAS, assim como Next Level, posso acabar gostando ironicamente e escutando ela pra caramba kk

GingaMingaYo (the strange world), Billlie

Billlie ganhou oficialmente a privilegiadinha do Girls Planet que só não entrou porque não CONSEGUIU ser MAIS PRIVILEGIADA que o resto das coreanas naquela porcaria. Nenhum dos debuts do final do ano passado me impactou (ficam falando de Eleven aí, mas aquilo pra mim é esquecível demais), então tava com zero expectativas.

O que foi bom, porque o house de GingaMingaYo é viciante de tão bom. O fato de ter um pseudo-conceito por trás só deixa tudo melhor, dando um mínimo de contexto pra faixa não soar genérica. Não amei de paixão, mas curti.

Adrenaline, Kom (N.O.M)

SIM! Os carinhas do N.O.M estão alimentando as gays com solos para cada um dos três antes do comeback oficial e Kom ficou com o MELHOR. Com house safadíssimo que o Wonho morreria pra por as mãos, os suspensórios do Girl’s Day e uma presença de palco digna da Chung Ha, ele fez história.

Adrenaline é aquele tipo de faixa sexy que muitos solistas masculinos estão apostando ultimamente (aproveitando que o Taemin tá no exército), mas Kom, por ser do N.O.M, consegue entregar com muito naturalidade o sexy, sem medo de soar delicado e feminino no processo, muito como o próprio Taemin. Bom demais.

Paramos por aqui pra não ficar muitas músicas num post só. Falta pouco para eu ficar em dia yay! kk Eu ficarei um pouco mais atento as lançamentos, então é capaz de ter mais posts solo também a partir dessa semana (e, espero, o post de BL no final de semana que vem xD). Até lá ^^

O Aquário Hipster também tem Twitter!! Segue lá: @AquarioTutu

7 comentários em “Fundo do Mar (04/02 a 23/02): STAYC, NMIXX, N.O.M, VIVIZ, Suzy, Wonho e mais…

  1. “eu nem sei de qual subgrupo o Mark é, especificamente” mais fácil perguntar em qual ele NÃO está, pq se ele falasse “Oi” em chinês, a SM tacava ele no WayV, pq de resto, ele está em todas as units vivas (NCT Dream e NCT 127, NCT U) ou em hiatus (Vide SuperM), e se ele disser que gosta de ser chamado de ELA, tacam ele no Girls On Top

    Curtido por 1 pessoa

      1. nem, desde sempre a sm enfia o mark em praticamente tudo . tem até um vídeo antigo dele correndo atrasado pra uma apresentação do nct u na época de the 7th sense pq ele tava performando com o dream antes

        Curtido por 1 pessoa

  2. Sobre o NMIXX, sério, eu acho que elas tem muito potencial! A Lily tem uma voz maravilhosa! Mas que debut é esse??? Eles tentaram fazer o beat drop e deu muito errado, como os produtores pensaram que isso poderia ser bom??? O meu medo é que agora todos os grupos de kpop comecem a fazer esse tipo de barulho que eles costumam chamar de “música”, visto que qualquer coisa que faz um mínimo sucesso no kpop é replicado por absolutamente todos os grupos até a última gota (como o retrô, que é bom sim, mas no caso eu, já estou enjoada de tanto retrô anos 80). Queria de volta músicas como Something, Miniskirt, Like a Cat, etc 😞

    Curtido por 2 pessoas

    1. Ah o rolê é que a indústria é assim mesmo… Something mesmo foi seguindo a onda de midtempo sensual q o AOA popularizou com Miniskirt… Só acho que a moda agora tá meio amadora mesmo, as produções não tem liga e ainda usam desculpa de “conceitual”… Parece q as empresas tão fazendo o mínimo do mínimo e ainda assim o pessoal gosta, então… :/

      Curtir

  3. Como assim detestaram RUN2U? Eu achei tão bom, a música casa tão bem com o visual trazido pelo MV, algo bem aesthetic e visualmente chamativo mas sem pesar a mão. Aliás, é o tipo de música que se fizessem uma produção mais megalomaníaca (e nem precisa ir muito além) ia estragar.

    Achei bem condizente com o que elas costumam entregar e vai de acordo com a narrativa que elas estão criando.

    De resto eu só escutei VIVIZ e eu amei Bop Bop! Mas eu também não tenho as refs dos últimos lançamentos do Gfriend. Então não tive com o que comparar, só curti mesmo e fiquei viciadissima nas partes da Eunha.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Eu vi um pessoal q criticou até que bastante no twiter e não entendi kk Só faltou o “stayc girls is going down”, mas tem uma bside no álbum q tem essa parte então…

      Não é viciante mesmo… A Eunha parece q se transformou pra esse comeback o.o Só lembro da cara dela no clipe kk

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s