Fundo do Mar (23/02 a 18/03): Solar, Sunmi, IU, Park Bom, Astro, Rocket Punch, TVXQ e mais…

Depois de filosofar sobre as gerações do k-pop com minha irmã, eu fiquei super empolgado pra escrever sobre k-pop, então pensei “por que não tirar o pseudo-atraso e ficar em dia com os lançamentos em um Fundo do Mar?”

Sharp Objects, Sorn (ex-CLC)

Sharp Objects tem uma melodia oitentista bem refinada para o padrão da modinha pro k-pop, então pontos pra Sorn por encontrar esta ótima demo. O único problema é que a gata ainda tá muito genérica como um todo (com o clipe não conseguindo esconder o baixo orçamento), não parecendo muito diferente que qualquer ato americano avulso que tenda pegar a onda do retrô anos oitenta.

Yongcheon Cave, Ahn Yeeun

Uma cantora de OSTs (até onde eu sei) que lançou uma faixa promovendo uma caverna. Se isto por si só é diferente, espera pra escutar as ótimas texturas que a voz dela tem pelo instrumental épico. É muito refrescante ver alguém sem medo de soar meio anasalado em coreano. E, vou confessar, deixa a música bem mais impactante que muita vozinha angelical de IU por aí.

Callin, Super Junior

Eu não gosto de perder nenhuma oportunidade de falar mal do Super Junior. Mas dessa vez até que não consigo escolher muito bem do que reclamar. O clipe tá bonito (apesar de simples). Não sacrificaram o visual do Heechul dessa vez (o maior desses aí). E a demo meio BTOB foi ok.

Vou escutar de novo? Não. Mas, pelo menos, eles desviaram de lançar coisa ruim.

CHIQUITA, Rocket Punch

Acho que é a primeira vez que o Rocket Punch não soa como as Esquiletes. Conseguiram equilibrar o retrô chique com o vocal mais agudo do grupo, ô glória! Só não entendi o título em espanhol, mas com teclados assim no refrão, não tenho como reclamar. Melhor single delas até agora.

E voltaram com os EPs temáticos de cores xD!!! Como esperado para estes EPs delas, a capa do Yellow Punch tá linda. Depois vou ouvir e ver se tem uma Ride de novo escondida no meio da tracklist.

Bad News, TEMPEST

Debut de boyband sempre dá um calafrio de ouvir, mas o TEMPEST decidiu soar fresh e animado ao invés de se render as roupas pretas e fogo. Resultado: um pop rock empolgante, com um clipe bem colorido (o cenário de skate e grafiti ficou lindo inclusive), que nem os raps do segundo verso conseguiram estragar. Ai que gostosinho xD Espero que eles não se rendam ao lado mais sério das boybands no primeiro comeback (como aconteceu com VERIVERY, Ghost9, TOO/TO1 e por aí vai…).

Switch, Kim Woo Seok (Up10tion)

Estranhamente eu venho acompanhando todos os solos do Wooseok (apesar de não ser fã nem dele nem do Up10tion). Não sei dizer se ele é versátil ou perdido. O debut era sexy de paleta sombria. O primeiro comeback era paleta pastel fofa e trap lo-fi. E agora veio com um pop rock com R&B… Sei lá. Os clipes dele são tão bonitos, mas a música parece tão qualquer coisa… Não sei porque.

Oh Sorry Ya, Sunmi

Sunmi fez uma parceria com o Spotify e lançou um single exclusivo pra plataforma no Dia Internacional da Mulher. Legal, curti, achei conceito. Só achei que a música podia ter um pouco mais a ver com empoderamento feminino.

Temáticas de lado, a impressão que Oh Sorry Ya passa é que ela está inacabada. É uma batidinha oitentista gostosinha, mas já meio genérica pro próprio catálogo da Sunmi, e essa duração de dois minutos e meio não dá. A letra é meio qualquer coisa e o título parece ter sido decido as pressas. Esperava mais, hein?

ESPER, Kwon Eunbi (ex-IZONE)

A Eunbi tá fodona mesmo hein? Mal debutou solo e já tem um single esclusivo Universe pra chamar de seu. O clipe tá lindo (ela de calça e terno tá um luxo) e as cenas de ação são bem impressionantes, mas latin pop meets k-pop não é muito pra mim. Agora que voltei a escutar Kali Uchis, acho que muito do flavor de ritmos como reggaeton hoje em dia é pela própria sonoridade da língua espanhola, pelo menos pra mim.

DU DU DU, TAN

TAN parece nome de solista, mas na verdade é um grupo. E, pra nossa felicidade, eles já decidiram ir pro sexy logo no debut, com melismas suspirados, caras de desejo e roupas favoráveis 👀

A faixa em si é muito gostosinha (parece algo do 2PM). Tem um sintetizador constante que parece um metrônomo durante todo o instrumental e ele deixou a música meio única em comparação com outros sexys por aí. O único defeito é a ponte de rap bem lugar comum, mas quando o refrão volta ainda dá pra salvar, confia.

Flower, Park Bom (feat. Minseok)

A Bom lembrou que tem uma carreira solo e a D-Nation fez o FAVOR de investir uns centavos e chamar alguém relevante pro feat, o que fez a deusa pegar top10 em mais de um chart 🤯. Seria aí o prenúncio de um novo EP?

É engraçado que, como é um feat full balada, fica bem evidente como a voz da Bom transforma qualquer instrumental. A parte dela é empolgante, com textura, cheia de emoção. Aí quando vem a parte do cara é a mesma coisa genérica de balada coreana de sempre. Parece até outra música!

WHO, Moonbin & Sanha (Astro)

O Seulrene do Astro inesperadamente resolveu ter um comeback. E, mais inesperado ainda, continuou na pegada sexy sombria inspirado na unit sáfica das boleiras. Como o Wendell bem disse, se antes eles emularam Naughty, desta fez foi Monster. Não reclamo nem um pouco, só achei que faltou boiolisse no clipe… Que isto, Red Lights com o Hyunjin e o Bangchan do Stray Kids consegui explorar muito melhor este homoerotismo hein?

Mas preciso ressaltar que a b-side DIA desse novo EP deles é ÓTIMA.

Again, NU’EST

E a HYBE destruiu o NU’EST logo depois de eles acertarem muito (que nem o GFriend), transformando este no último comeback do grupo (sendo um Best Album até). Achei bem japonês da parte deles.

Claro que o último single ia puxar mais pra balada super emotiva, então nem tem o que criticar. Só fiquei triste que o grupo acabou nessa vibe mesmo.

Hana, Kim Junsu (JYJ/ex-TVXQ)

Pras novinhas da fanbase, o TVXQ era composto por cinco pessoas, nas quais três formaram um grupo próprio (JYJ) depois de processar a maldita da SM por exploração e trabalho análogo a escravidão (SIM, os contratos do TVXQ ficaram notórios pelo abuso de poder que a SM partiu pra cima dos cinco). Junsu é um deles e me choca ele ainda ter música solo lançando (assim como me chocou o Max Changmin tá com tudo nos solos dele).

Eu queria muito que este lançamento fosse tão bom (ou até melhor) que o do Max, mas Hana para uma faixa de 2016 de tão forte que foi a inspiração no dancehall. E quem viveu o k-pop de 2016 e 2017 NÃO AGUENTA MAIS faixa assim.

Honey, Solar (Mamamoo)

FINALMENTE a Solar teve um solo que presta, refletindo como ela é cômica e carismática. É muito bom ver a Moonbyul e a Wheein saindo da sombra da Hwasa, e, depois de MUITA ESPERA, a Solar teve seu momento ao sol. Honey é ótima ao que se propõe, naquela faixa despretensiosa de diva gostosona que os gays amam. E olha que ela nem é a melhor coisa deste “debut”. A estrela fica pra b-side Big Booty, um jazz anos 30 em que ela fica QUATRO MINUTOS FALANDO COMO A BUNDA DELA É GRANDE. Conceito, queridas. Isto sim que é conceito.

Too Bad, WEi

Demos a sorte do WEi não sacrificar as cores e a animação de seu single depois da ótima Bye Bye Bye. Too Bad soaria um pouco genérica há um tempo atrás, mas o aegyo masculino é tão raro que mesmo uma surf rock levinho desses é o suficiente pra se destacar. Como não abrir um sorriso quando chega o refrão?

Epitaph~for the future~, TVXQ

Eu não entendi muito bem a estratégia pra SM pra promover tanto o TVXQ nos últimos dois anos (os dois já tem solos robustos e, agora, tem este single novo pro Japão). Epitaph tem quase rock agressivo (mas bem cantado e coeso) típico do TVXQ, mas com elementos típicos do opera rock do j-rock japonês. E, mano, a ideia de fazer um clipe um duelo entre os dois foi muito boa. Adorei, melhor single de k-pop no Japão EM MUITO TEMPO junto de Hula Hoop do LOONA.

Tippy Toes, XG

Leve, mas agressiva. Calma, mas rápida. Tippy Toes é uma música que chama bastante atenção por ser tão bem executada. A faixa é tão leve e ao mesmo tempo tão tensa. Como andar na ponta dos pés pra esconder um segredo. É simples, eu sei, mas tudo se encaixa tão bem que me dá vontade de saber mais dessas XG, uma ótima impressão pra um debut.

GANADARA, Jay Park (feat. IU)

Chato, pretensioso e genérico, como todo single que envolve a IU recentemente.

E foi isto! Depois de 18 músicas e um pouco mais de 1h30 escrevendo, finalmente estamos em dia com o k-pop no Aquário Hipster 🎉🎉 Agora, como base, estou pensando em deixar o Fundo do Mar uma vez a cada 15 dias, a depender da quantidade de lançamentos. Este tá sendo um ano que estou me ocupando bastante pra fazer a carreira como artista acontecer, mas acho que com esse cronograma garanto que o blog não fique as moscas mesmo nos tempos mais cheios que o 2022 vai trazer ^^

O Aquário Hipster também tem twitter! Segue lá: @AquarioTutu

4 comentários em “Fundo do Mar (23/02 a 18/03): Solar, Sunmi, IU, Park Bom, Astro, Rocket Punch, TVXQ e mais…

  1. Nenhuma musica para se falar mal, mas nada particularmente impressionante…
    Acho incrível como a SM consegue manter o TVXQ e o Super Junior ainda ativos, depois de terem matado o f(x) e o SNSD, e estarem aos poucos matando o EXO… não dá para entender muito bem não. Nem vou falar sobre o NCT para não passar raiva.
    E sobre o NU’EST… triste. Cinco anos ou mais na merda, para quando finalmente alcançar a fama, morrerem desse jeito.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Viu que estão tentando aprovar uma Lei JYJ. Que proíbe as emissoras e rádios de banir artistas por pressão de empresas.
    Se aprovada cai a Black list que impede a Jéssica, muitos idols da 2 e 3 geração de se apresentarem nos musics shows.

    Só se mantendo para os que foram presos e passaram por escândalos reais

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s