Pink Venom, BlackPink: O tosco, o solene e Ratata!

Existe uma certa vantagem quando vamos conferir algo novo sem nenhuma expectativa. Não tem COMO errarem, porque você simplesmente não está esperando nada. Tudo que vier é lucro. Foi um pouco com esta mentalidade que fui conferir a nova do BlackPink (que promete ser o primeiro single do futuro full album) e, olha, me surpreendi:

Pink Venom tem exatamente tudo que todos os singles mais “hardcore” do BlackPink tem, copiando a estrutura dos singles mais crocantes do 2NE1 de uma forma mais desconjuntada. E, pelo uso excessivo desta fórmula, todo mundo que escuta o grupo com um olhar crítico acabou aprendendo o que funciona e o que não funciona nessa proposta.

Curiosamente, Pink Venom funciona e muito bem, conseguindo superar o desgaste da fórmula How You Like That e realmente trazer algo divertido pro grupo. Eu sei que parece esquisito chamar um single mais fierce do BlackPink como “divertido”, mas acompanha comigo.

A grande ideia da faixa é trazer instrumentos tradicionais coreanos pro seu típico single do BlackPink, misturando não apenas com o hyperpop (ou sabe-se lá como chama a parte do refrão) mas também com um clássico break de rap bem próximo ao rap noventista. É uma zona!

Quando a faixa começa com o geomungo, você tem a sensação de que vai vir algum tipo de faixa épica (bem na linha de doramas de época ou coisa do tipo), acompanhado de um coro de seita repetindo o nome do grupo. Pra representar isto visualmente, temos a Jisoo em um hanbok modernoso, enjaulada, conforme uma série de pessoas todas de preto assistem. Logo nos primeiros segundos, a faixa já se coloca como impactante e (minimamente) diferente do que o grupo já fez, crescendo a partir disso.

A cada sessão individual de cada uma das integrantes, a melodia adiciona um novo elemento, acompanhando a troca de cenários e vibes que cada parte do clipe passa, como se quisesse te chocar, mostrar tudo que poderia estar em um álbum NUMA FAIXA SÓ. E isto deixa o lançamento com uma cara de grandioso, imponente, ao mesmo tempo que deixa tudo mais tosco e vergonha-alheia com a letra super exagerada sendo interpretada de forma igualmente exagerada. O cúmulo de tudo chega no breakdown, onde tudo se mistura no instrumental enquanto elas chamam o Ratata do Pokémon.

É engraçado porque a direção criativa do BlackPink parece que finalmente entendeu o quanto o grupo não precisa se levar tão a sério. Claro, elas são players enormes na indústria, então gastaram tudo quanto é tipo de dinheiro nos cenários e nas roupas, mas tudo confluiu para uma entrega tão exagerada e caricata que deu a volta por cima e transformou o tosco em camp. E este tipo de entrega que faltava pra muita coisa do BlackPink funcionar.

No fundo, algumas faixas do BlackPink são soco de pancada porque elas são estéreis demais. Não tentam nada, não mudam nada, repetem a mesma coisa da última vez, só que pior, e é isso aí. Pink Venom é a primeira vez que realmente tem alguma coisa diferente (seja na melodia ou na performance das próprias integrantes) acontecendo nessas faixas mais bagunçadas desde Ddu-Du Ddu-Du e isto é que o grupo precisava pra deixar uma zona dessas divertida de se assistir e se ouvir.

É refrescante ver o BlackPink tentando soar um pouco menos cool em prol da performatividade que uma concha de retalhos produzida pela Teddy pede na interpretação. Sem contar que a Jisoo e a Rosé tem muito mais tempo de tela e linhas que a Jennie!!! Sei que vou acabar me decpecionando, mas Pink Venom me deixou com um mínimo de expectativa para o álbum que elas vão desovar mês que vem (isto se a YG não adiar de novo, né?).

5 comentários em “Pink Venom, BlackPink: O tosco, o solene e Ratata!

  1. Será que eles vão trazer algo que contraste com essa música como faixa principal como fizeram no álbum passado?
    Particularmente eu gosto bastante de algumas album-tracks delas, ent até que tô ansiosa.

    (Tô de cara em saber que a Jisoo e a Rosé passaram a Jennie em tempo. Fiquei com uma impressão totalmente inversa)

    Curtido por 1 pessoa

    1. Nossa, sério?? Só se ela fez os ratata sozinha, pq de resto de letra a Rosé (principalmente) deu uma dominada

      Ia ser MUITO LEGAL se tivessemos uma coisa totalmente diferente dessa fórmula q nem foi Lovesick Girls… Eu adoro essa música até hj, ia ser ótimo xD

      Curtir

  2. Essa foi a primeira música delas que tirei antes do fim de ouvir, pra mim foi péssima e a mesma bagunça e mudança de ritmo. As partes da Rosé e Jisoo quebraram a música na minha opinião (e pra mim no passado a parte da Rosé era que levantava pra vir o resto) o rap de Lisa e Jennie não desceu, e ainda fecha com aquele ratata sem lógica nenhuma no final que ficou total desnecessário.
    PS. Nem o mv achei bonito e nem o estilo das meninas também_ em How Like that achei lindo aquelas roupinhas tradicionais coreana e aquele visual todo branco delas, mas nesse aí, não salvo nenhuma.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Concordo com você em tudo. Achei esse “this that pink venom / taste that pink venom” agudo, bem irritante. Primeira vez que eu não consegui gostar de nada.

      Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s